domingo, 2 de agosto de 2009

Promessa de Sérgio Cabral: incorporação do Nova Escola

Divulgação: O Globo, 2/8/2009

Governador promete começar este ano a incorporar gratificação a salário de ativos e inativos, ao custo de R$ 950 milhões.

Na avaliação de Cabral, sua administração tem recuperado as estruturas do estado, mas ele reconhece que ainda está longe do ideal. Como exemplo, cita a questão da segurança, da saúde, do salário dos servidores e do bilhete único, que ainda não foi implantado como prometera. Cabral garante que, este ano, o Nova Escola (gratificação criada por Antony Garotinho) começará a ser incorporado ao salário de mais de 90 mil professores ativos e inativos.

"Vou mandar a mensagem para a Alerj... Porque é dinheiro. Vamos fazer em parcelas, senão quebra o estado. O impacto na folha é grande. Hoje os valores vão de R$ 100 a R$ 435. Vou atender também aos inativos. Antes, o professor se aposentava e não levava o Nova Escola. E eu quero dar o Nova Escola no pico, ou seja, R$ 435, para todos os professores. Em alguns casos, isso vai dobrar ou triplicar o salário. (Segundo a Secretaria de Administração, a incorporação do Nova Escola vai beneficiar 93 mil professores e funcionários da ativa e 64 mil aposentados. O impacto na folha será de cerca de R$ 950 milhões)"

"O Estado remunera pouco o professor (...)" "Mas o servidor está mais estimulado" (p. 26)

Um comentário:

Roit disse...

Colegas do Sepe, entendo que o governo do estado se antecipou a vcs e respondeu ao nosso post anterior (31/07)- "carta-compromisso, há quase 3 anos..."

Paulo Freire

"Ensinar exige reconhecer que a educação é ideológica."

(Pedagogia da autonomia)