quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Ao vencedor, as palavras...

Aqui, no Barão, não só ensinamos. Demonstramos, com nossas atitudes e procedimentos o sentido que faz, em nossas vidas, os conceitos trabalhados em sala-de-aula.
Temos talentos que, com esforço e dedicação, melhoram diariamente sua condição humana.
Veja, por exemplo, o Sérgio...

BARÃO FELIZMENTE NU

Já que a trilogia passada acabou aqui vai quase um cordel!
Contador de algumas das peripécias deste ano.
Primeiro cabe celebrar as novidades que tivemos.
Tanto material bom e novo chegando para nosso plantel!
Saudamos e recebemos todos na alegria do cotidiano.
Desnudando o prazer do Barão que queremos!

“STRIP-TEASE[1]

Cai t-shirt[2]
Mas um avião sai do chão
E outro pede permissão
A vida corre solta e sem previsão”

Vale então homenagear alguns deles por isso!
Começamos com o novato nativo sociológico.
Boa aquisição nos debates que temos é esse grande Curumim!
Fala precisa e um engajado perfil ideológico.
Porém é o atual alvo da tropa das casamenteiras sem fim!
Precavido ele resiste em ficar vestido deste compromisso.

“Cai o jeans
Cai o mundo além do jardim
Alguns acham normal
Vida breve, boba e sem manual”

Uma outra bela nova é de matemática nossa docente.
Chegou meio perdida, assustada e calada entre a gente!
Agora quando usa saia fica com as pernas molhadas de tão integrada.
Entretanto ficamos preocupados quando pela enxaqueca é atacada!
Chocolates e aqueles exercícios conjugais formam o melhor tratamento.
Tirando a dor como a dançarina do ventre lança seus véus ao vento!

“Enquanto tiro mais
Enquanto danço mais
Em torno do meu poste de strip-tease
Você pode olhar
Você pode até tentar chegar
Sem pagar... sem pegar”
Seja a homenagem de todos os novos pelos dois que citados já foram.
Convivendo de manhã até noite com poucas tristezas tivemos muita satisfação!
Sabendo que aquelas colegas sedentas da água do Barão engravidaram.
Apostando no mingau desejado e em uma bicicleta docente que tem mágica capacidade.
Mas o tributo da nossa memória é a lembrança viva de PP e Tomaz em nossa saudade!
Presente nas festas, feiras e falas a compartilhar sempre essa bela recordação.

“Pega leve
Enquanto tudo ferve
Enquanto a terra gira
E faz o seu strip em torno do sol
Eu continuo a rodar
Eu continuo a dançar
Continuo a tirar”

Não esqueço do pessoal da conservação, inspetoria, secretaria e merenda.
Trabalhando e realizando junto o complemento do serviço mais educativo!
Agradecemos coletivamente esse convívio e que seja ainda mais participativo.
Finalizando espero que possamos ler aqui despindo todos os problemas e seus poderes!
Dançando e subindo no poste da vida feliz de cada um independente da sua renda.
Concluo continuando como o ficante a desnudar os nossos inocentes prazeres!

“Cai g-string[3]
Ditadura é tudo igual
Nenhum ditador é legal
Vida heavy nua, crua e frontal.”





Sérgio Paulo



PS. Como sempre o meu texto, e o presente uso da música do Kid Abelha acompanhante, são brincadeiras da imaginação do nosso intenso conviver. Representam sinceros desejos de realizações, tanto no campo pessoal como coletivo, para todas e todos que compartilham essa nossa parceria profissional. São votos, também, de que no novo ano de 2008 possuam uma alegria muito nua na vida pessoal de cada um e uma existência bem despida de qualquer infelicidade individual ou familiar. Fiquem com fraternos Abraços e comportados Beijos!

[1] - “STRIP-TEASE” é o nome de uma das músicas do último CD/DVD da banda Kid Abelha (“PEGA VIDA” lançado no ano de 2005) cujos autores são Paula Toller e George Israel.
[2] - “T-SHIRT” é a nossa conhecida camisa curta ou camiseta originalmente em inglês.
[3] - “G-STRING” é o nome de um tipo de roupa intima feminina, ou lingerie cotidiana, muito usada em algumas regiões da Europa (na Inglaterra principalmente), com aquela ousadia na forma sensual tão conhecida do biquíni brasileiro “fio dental” e que cria um intenso contraste com as comportadas vestimentas de praia tão usadas por mulheres européias e norte-americanas.

2 comentários:

Alberto Patricio disse...

Sensacional este texto do Sérgio Paulo, que teve meu personagem como um dos protagonistas. O texto foi distribuído entre nós o ano passado, na confraternização de fim de ano. Bela oportunidade de tê-lo de novo, pois, o do papel, com todo aquele clima de alvoroço da festa, transformou-se em reciclagem. Parabéns.

Roit disse...

E eu, que mal desfiz as malas,'tô tentando descobrir quem é quem...

Paulo Freire

"Ensinar exige reconhecer que a educação é ideológica."

(Pedagogia da autonomia)