quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Ano Novo, velhos hábitos ?


Na virada de 2008 para este ano, planejamos um 2009 com muita paz, harmonia e saúde para nossos familiares e amigos, próximos e distantes.
Programamos um ano novo de muita prosperidade e sucesso para toda a humanidade.

Atingimos, então, nossos objetivos, se não na totalidade, ao menos, parcialmente.

Com tanto pra desejar, esquecemo-nos, porém, de estender alguns deles aos demais seres, diferentes de nós.

Esquecemos, também, o nosso planeta, com seus oceanos, florestas, montanhas e geleiras.

Em meio a esta amnésia humana e coletiva, os responsáveis pela degradação ambiental, camuflaram-se no mito do desenvolvimento e pouco se empenharam em cuidar de nossa casa.

Talvez, por isto, deixaram de lembrar que harmonia prescinde de respeito.
Que a paz exige compromisso ético.
Que o conforto é necessidade de todos.
Que a felicidade de uns não pode representar o sofrimento de outros.

Agora, para 2010, iremos planejar, programar e desejar, outra vez, somente entre nós, humanos?

Outra vez, iremos esquecer que não estamos sozinhos?
Que vivemos em uma teia de infinitas conexões?
Que todos os seres necessitam ser felizes ?
Que todos os seres tem que ser ditosos ?

Que todos os seres não devem sentir o que não desejamos pra nós mesmos,
humanos ?

Um 2010 pleno de realizações e que em seus planos se inclua, pelo menos, um ato de amor em direção a um ser diferente de nós e ao nosso planeta !

Ana & Roit
Amigos do Barão

Assista ao vídeo

Um comentário:

Roit disse...

No que diz respeito ao quadro político-econômico do país, o Milton Temer partilha desta visão que busca não largar o lastro da realidade. As projeções para 2010, a despeito da mídia do governo, não são nada promissoras. Diz ele, em seu artigo: "Janeiro de 2010. Tempo de balanço do ano que findou. E de projeção sobre planos e perspectivas para o que já está em curso. Inevitável ritual do óbvio. Pior, porque, tanto pelo quadro conjuntural nacional quanto pelo internacional, os fatos projetam uma visão pouco auspiciosa no encerramento da primeira década do milênio, a partir do que se registrou em 2009. Não foi positivo o balanço do que ocorreu, no Brasil e no mundo, durante este ano. O que faz prever tempos de pessimismo para o período que se anuncia. A despeito, é claro, do oba-oba da publicidade oficial, que joga tudo para cima, pois outra coisa é a vida real. (...)" Leia mais em Socialismo e liberdade

Paulo Freire

"Ensinar exige reconhecer que a educação é ideológica."

(Pedagogia da autonomia)